Veículos Elétricos | Novos desafios para o Ensino Superior
195
post-template-default,single,single-post,postid-195,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-7.6.2,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

06 Fev Novos desafios para o Ensino Superior

editorial_07

José Maia

Instituto Politécnico de Setúbal

A história dos veículos elétricos iniciou-se no século XIX, tendo estes começado a ser comercializados na última década deste século. Em simultâneo apareceram os primeiros veículos híbridos, alguns deles com tração 4×4 e com motor na roda. Passados cerca de 120 anos, estes temas continuam a despertar o maior interesse e a serem alvo de investigação e desenvolvimento.

Que evolução ocorreu neste período? Será que paramos no tempo?

Verificamos que ao longo do século XX existiram evoluções competitivas a quase todos os níveis. Relativamente às baterias, a sua energia específica / preço não conseguiu no entanto alcançar o nível de competitividade necessário para que o VE triunfasse no mercado, tendo este “aparecendo” e “desaparecendo”, em função das crises petrolíferas e da preocupação com os problemas ambientais.

Finalmente parece que o ponto de não-retorno foi alcançado. O agravamento das alterações climáticas e a consciencialização mundial para a necessidade urgente da redução da utilização dos combustíveis fósseis levou a uma forte I&D das baterias de tração. Nos últimos anos as baterias reduziram significativamente o seu preço e a sua densidade de energia aumentou, prevendo-se que esta tendência se continue a verificar.

O interesse do VE não se resume apenas à questão da mobilidade urbana. Este assume uma importância fundamental na redução das emissões, principalmente nas grandes cidades, contribuindo assim para a redução dos problemas de saúde associados à poluição. Para além disso, a aposta nas energias renováveis para a produção de eletricidade conduz à necessidade de encontrar novas soluções de armazenamento de energia e da transferência de consumo para o período noturno – o VE responde nestas duas frentes.

As principais marcas automóveis já claramente tomaram consciência desta realidade, cabendo às instituições de ensino formar técnicos especializados, de nível médio e superior, para responder às novas necessidades do mercado.

Como resposta a um desafio lançado pela Autoeuropa, com o apoio do CEIIA, o Instituto Politécnico de Setúbal lançou em 2014 a 1ª edição da pós-graduação em Motorização de Veículos Elétricos e Híbridos e inaugurou o seu Laboratório de Mobilidade.

O excelente relacionamento alcançado com as empresas da área automóvel, fornecedores de energia, fabricantes de postos de carregamento e utilizadores de VEs, associado ao grande interesse verificado pelos estudantes, demonstraram a pertinência deste tipo de formação. Por outro lado, as empresas do setor automóvel já procuram estes profissionais especializados, pelo que estamos certos que esta será uma área de grande expansão a curto-prazo, tanto em Portugal como na Europa, atendendo à grande falta de diplomados especializados na área dos Veículos Elétricos e Híbridos.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page
Sem Commentários

Postar comentário