Guimarães quer "vir a ser a primeira cidade do país a ter autocarros 100% elétricos" | Veículos Elétricos
17272
post-template-default,single,single-post,postid-17272,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

Guimarães quer “vir a ser a primeira cidade do país a ter autocarros 100% elétricos”

No âmbito da abertura da “Green Weekend”, iniciativa da Câmara Municipal de Guimarães e do Laboratório da Paisagem, o presidente da autarquia, Domingos Bragança, anunciou a intenção de Guimarães vir a ser a primeira cidade do país a ter autocarros 100% elétricos a operar no circuito urbano. O autarca deu a conhecer que existem negociações da empresa concessionária dos Transportes Urbanos de Guimarães (TUG), da Arriva, e a Caetano Bus, para a introdução de um ou dois autocarros totalmente elétricos.
Domingos Bragança afirmou “o meu querer é que, dentro de três ou quatro anos, a mobilidade dos transportes públicos na zona urbana seja eléctrica, pelo menos 75 por cento”, noticiou o Correio do Minho. O responsável referiu que tem como objetivo introduzir “gradualmente e de forma irreversível a mobilidade eléctrica”, prevendo que na próxima concessão dos TUG seja feita em exclusivo com autocarros elétricos.
A atual concessão dos TUG, obriga a que até final de 2016, o concessionário tenha de introduzir na frota existente, pelo menos um autocarro híbrido, sendo que a autarquia está a tentar que esse autocarro seja substituído por um autocarro 100% elétrico.
Por seu lado e ainda segundo o Correio do Minho, o vereador do Ambiente da autarquia, Amadeu Portilha, realçou a “alteração do paradigma da mobilidade em Guimarães” e o objetivo de ver em breve os autocarros elétricos, ao serviço da população.
Segundo este responsável, “Há uma negociação em curso para que Guimarães seja a primeira cidade portuguesa a receber os primeiros dois autocarros eléctricos”, adiantando que “a própria Câmara Municipal está a desenvolver uma negociação para adquirir outro autocarro eléctrico para os seus próprios serviços”.
Amadeu Portilha, deu nota que cada autocarro elétrico custa cerca de 500 mil euros, o que é um investimento significativo mas “que vale a pena” que a autarquia assuma, visto que está a desenvolver a candidatura à Capital Verde Europeia, a qual será concretizada em 2017.
Recorde-se que no passado dia 1 de junho, a Caetano Bus, apresentou, nas suas instalações em Vila Nova de Gaia, o novo autocarro para transporte urbano, totalmente elétrico, que foi desenvolvido totalmente em Portugal, em parceria com a Siemens. A cerimónia contou com a presença do secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins.

No Comments

Post A Comment