Veículos Elétricos | Nissan desenvolve veículo elétrico alimentado por célula de combustível de óxido sólido
17395
post-template-default,single,single-post,postid-17395,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-7.6.2,wpb-js-composer js-comp-ver-5.3,vc_responsive

20 Jun Nissan desenvolve veículo elétrico alimentado por célula de combustível de óxido sólido

A Nissan está a desenvolver um sistema de propulsão elétrico alimentado por uma Célula de Combustível de Óxido Sólido (SOFC – Solide Oxyde Fuel-Cell) que utiliza bioetanol. O novo sistema — uma estreia mundial na indústria automóvel — possui uma célula de combustível e-Bio com um gerador elétrico de SOFC. Utilizando bioetanol armazenado no veículo, esta célula de combustível produz eletricidade com elevada eficiência. A célula de combustível e-Bio utiliza o hidrogénio extraído daquele combustível através de um reformador e o oxigénio atmosférico, com a subsequente reação eletroquímica a produzir eletricidade para alimentar o veículo.

Ao contrário dos sistemas convencionais, a célula de combustível e-Bio possui a SOFC como fonte de alimentação, permitindo assim uma maior eficiência energética que permite ao veículo obter uma autonomia semelhante ao dos veículos a gasolina (mais de 600km).

Adicionalmente, as funcionalidades caraterísticas da condução elétrica permitidas pelo automóvel com a célula de combustível e-Bio — incluindo a condução silenciosa, um arranque linear e a rápida aceleração — permite aos utilizadores desfrutar do conforto de um veículo 100% elétrico (VE).

Os sistemas de célula de combustível utilizam químicos que reagem com o oxigénio do ar para gerarem energia sem libertação de subprodutos nocivos. Os combustíveis de bio etanol, incluindo os produzidos a partir de cana-de-açúcar e de milho, estão disponíveis em grandes quantidades nos países da Ásia e América do Norte e do Sul. A célula de combustível e-Bio, utilizando bio etanol, pode assim disponibilizar uma solução de transporte amiga do ambiente e criar oportunidades na produção regional de energia, e apoiada nas infraestruturas já existentes.
Com o sistema de bio etanol, as emissões de CO2 são neutralizadas dado que o sistema de crescimento da cana do açúcar, com o qual é produzido o biocombustível, permite a obtenção de um “Ciclo de Carbono Neutro”, praticamente sem aumento de CO2.

Segundo a Nissan, a célula de combustível e-Bio vai ser ainda mais fácil de utilizar no futuro. A mistura de água com etanol é mais fácil e segura do que a maioria dos outros combustíveis e uma vez que não está sujeita à criação de uma infraestrutura totalmente nova, possui um grande potencial para crescimento no mercado.  O construtor japonês acredita que os custos de utilização deste tipo de veículos, por seu lado, vão ser extremamente baixos — equiparáveis aos dos VE atuais — beneficiando tanto o público como as empresas, dado que esta célula de e-combustível, com um tempo de reabastecimento reduzido e um grande potencial de gerar energia elétrica, ser ideal para clientes que precisam de elevada autonomia e energia, sendo assim capaz de suportar diversos tipos de serviço, como por exemplo a grande distribuição em veículos com caixas refrigeradas.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page
Sem Commentários

Postar comentário