Veículos Elétricos | Novos Volkswagen e-Golf e GTE chegaram a Portugal
18449
post-template-default,single,single-post,postid-18449,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-7.6.2,wpb-js-composer js-comp-ver-5.3,vc_responsive

07 Mai Novos Volkswagen e-Golf e GTE chegaram a Portugal

A Volkswagen iniciou a comercialização em Portugal dos novos e-Golf e GTE, que oferecem mais potência, autonomia e eficiência. Estes modelos receberam ainda um design mais apelativo, faróis dianteiros e traseiros em LED (ambos de série), um novo sistema de infotainment Discover Pro com funções como o controlo por gestos (de série no e-Golf e no Golf GTE), o digital Active Info Display (opcional) e numerosos novos sistemas de assistência à condução. Os Volkswagen e-Golf e GTE estão disponíveis a partir de 40.461 euros e 44.691 euros, respetivamente.

O Volkswagen e-Golf viu aumentada a sua autonomia, em ciclo NEDC, até 300 quilómetros, o que se deve à introdução de uma nova bateria de iões de lítio, com uma capacidade de 35,9 kWh. O motor elétrico também viu a potência aumentar de 85 kW (115 cv) para 100 kW (136 cv), assim como o binário máximo, que passou de 260 Nm para 290 Nm. Em termos de prestações, a marca anuncia uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 9,6 segundos e uma velocidade máxima de 150 km/h (limitada eletronicamente). O consumo médio de energia, porém, permanece inalterado nos 12,7 kWh/100 km.

O Volkswagen e-Golf dispõe de uma nova de função de assistência, com indicações de condução Eco, que auxilia o condutor a poupar  através de uma condução previsível. O sistema utiliza os dados proactivos da rota do sistema de navegação (de série) e os dados sobre a dinâmica longitudinal procedentes da unidade de controlo do motor. Através do ecrã multifunções (MFA), o condutor recebe indicações para levantar o pé do pedal do acelerador quando se verifica que o e-Golf é suficientemente rápido sem aceleração “elétrica” adicional nas seguintes situações: por exemplo, quando existe um limite de velocidade ou antes de uma curva. Adicionalmente à indicação “Levantar o pé do acelerador”, o ecrã MFA apresenta também um símbolo gráfico; por exemplo, uma curva, uma bifurcação, um sinal de limite de velocidade ou uma rotunda.

Além do exterior, a Volkswagen também introduziu algumas melhorias no interior. A segunda geração do e-Golf está equipada de série com o novo sistema de infotainment de topo Discover Pro com ecrã de 9,2 polegadas e controlo por gestos. Outros equipamentos exclusivos no e-Golf são os instrumentos adaptados à propulsão elétrica. Pela primeira vez é proposto, em opção, no e-Golf o Active Info Display em substituição de instrumentação analógica. Este display e o sistema Discover Pro permitem criar um novo mundo de indicações e de manuseamento digitalizado. Alguns dos detalhes interiores do e-Golf são os bancos dianteiros confort, volante multifunções em couro, punho da alavanca de velocidades em couro com costuras em azul e inserções decorativas com um novo desenho.

Igualmente revisto foi o Volkswagen Golf GTE, que passa a ser dotado com uma estratégia híbrida  proactiva que é proposta em combinação com um sistema de navegação (a partir do verão de 2017). O automóvel reconhece, por exemplo, a entrada em cidades e liga previamente de forma automática a propulsão elétrica com zero por cento de emissões. Ao mesmo tempo, está também disponível a bordo do Golf GTE uma gama completa de sistemas de assistência à condução e sistemas de infotainment.

Pela primeira vez, está disponível, em opção, o assistente para filas de trânsito (Traffic Jam Assist), com condução semiautomática até 60 km/h, o ecrã digital Active Info Display (opcional) e o sistema de infotainment Discover Pro com ecrã de 9,2 polegadas e controlo por gestos. Os novos sistemas de infotainment, com o ecrã opcional Active Info Display, representam um mundo de indicação e manuseamento digital completamente novo no Golf GTE.

O híbrido plug-in da Volkswagen recebe um motor a gasolina 1.4 TSI, de 110 kW (150 cv) e um motor elétrico de 72 kW (102 cv). A combinação de ambos os propulsores permite disponibilizar uma potência máxima de 150 kW (204 cv). A autonomia anunciada em modo elétrico é de 50 quilómetros. O consumo de combustível situa-se entre os 1,6 e os 1,8 l/100 km e o de energia elétrica entre 11,4 e 12,0 kWh.

Este modelo estreia uma estratégia híbrida que permite ao condutor aproveitar melhor o potencial energético do Golf GTE e o modo de condução totalmente elétrico. O sistema de navegação irá considerar e otimizar a estratégia híbrida, avaliando os dados do trajeto proativos. Ou seja, tanto os dados do trajeto do sistema de navegação como os dados do GPS fluem na regulação do sistema de propulsão. Deste modo, o Golf GTE reconhece previamente a topografia do trajeto e “sabe” quando se aproxima de uma subida ou descida de uma zona montanhosa, de uma autoestrada, de uma estrada ou de uma cidade, adaptando assim a ativação dos motores ao trajeto.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page
Sem Commentários

Postar comentário