Veículos Elétricos | Versão especial do Nissan LEAF para o Rali da Mongólia
18482
post-template-default,single,single-post,postid-18482,single-format-video,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-7.6.2,wpb-js-composer js-comp-ver-5.3,vc_responsive

08 Mai Versão especial do Nissan LEAF para o Rali da Mongólia

Uma empresa escocesa transformou um Nissan LEAF para participar no Rali da Mongólia de 2017. Denominado LEAF AT-EV (All Terrain Electric Vehicle) irá percorrer 16 mil quilómetros entre o Reino Unido e a Mongólia, no verão deste ano. O veículo tem como base um Nissan LEAF Acenta 30 kWh, que, de série, tem uma autonomia homologada de 250 quilómetros com um só carregamento.

As principais modificações foram efetuadas para permitir ao Nissan LEAF ultrapassar as dificuldades nas zonas mais remotas da viagem. Entre as principais alterações destaque para as jantes Speedline SL2 Marmora e pneus estreitos Maxsport RB3 para um melhor desempenho em estradas não pavimentadas. A parte inferior dos triângulos de suspensão conta com placas de proteção, enquanto o circuito de travagem foi duplicado. Além disso, foram montadas palas de guarda-lamas, além de uma proteção do cárter de 6 mm em alumínio, para uma maior proteção contra terrenos difíceis.

As barras de tejadilho modificadas fornecem uma base extra de transporte exterior e estão equipadas com uma barra de luz Lazer Triple-R 16 LED que produz 16.400 lumens de iluminação de baixa tensão adicional, importante nas partes mais remotas do percurso.

Uma vez que o Rali da Mongólia não é uma prova cronometrada, os veículos participantes estão vocacionados para um elevado conforto neste percurso de longa distância. As modificações no interior do LEAF AT-EV concentraram-se na redução do peso e no fornecimento de mais espaço de armazenamento. A área do condutor e do passageiro da frente permanece inalterada, com exceção dos exceto tapetes adicionais em borracha. A fila traseira de assentos e os cintos de segurança da traseira foram totalmente removidos, contribuindo para uma redução de peso de 32 kg. Foram também integrados um extintor e um kit médico no espaço da bagageira.

As modificações no LEAF AT-EV foram realizadas pela RML Group, uma empresa de engenharia automóvel de alto desempenho.

De acordo com Chris Ramsey, fundador da Plug In Adventures, “o Rali da Mongólia constitui a viagem mais desafiante para um veículo elétrico até hoje, mas é um desafio que temos vindo a planear há vários anos. Não só iremos enfrentar uma diminuição no número de carregadores de VE à medida que nos deslocamos para leste, mas o terreno também se torna mais difícil de navegar”.

Este aventureiro dos tempos modernos acrescenta que a opção pelo Nissan LEAF foi “uma decisão óbvia”, uma vez conhece muito bem o automóvel. “É extremamente fiável e tem a maior rede de carregamento rápido na Europa. Uma vez que aceita uma ligação de 220~240v, mesmo nas áreas mais remotas, quando já não existir uma rede de opções de carregamento rápido, posso carregar a bateria e continuar em frente”.

Chris Ramsey tenciona efetuar paragens frequentes durante o percurso para promover os benefícios de utilizar um veículo totalmente elétrico junto dos cidadãos dos países a percorrer. Irá também utilizar a plataforma What3Words (http://what3words.com/) para registar as localizações da rede de carregamento não mapeada para que futuros condutores de veículos elétricos, que atravessem a região, possam beneficiar de localizações precisas de pontos de carregamento.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page
Tags:
,
Sem Commentários

Postar comentário