Nissan empenhada na mobilidade elétrica | Veículos Elétricos
20062
post-template-default,single,single-post,postid-20062,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Nissan empenhada na mobilidade elétrica

Antonio Melica, director-geral da Nissan Portugal, comenta à Veículos Elétricos que a aliança Nissan, Renault e Mitsubishi quer, em pouco, que 30% das vendas seja de veículos movidos com energias alternativas aos combustíveis fósseis. A marca de automóveis está apostada na mobilidade elétrica e, por isso, aposta também no desenvolvimento das infraestruturas de carregamento.

 

Veículos Elétricos (VE): Quais os objetivos da Nissa ao promover o Fórum Mobilidade Inteligente, cuja 2.ª edição decorreu dia 7 de fevereiro, em Oeiras?

Antonio Melica (AM): Temos um compromisso muito grande: queremos desenvolver o conceito de mobilidade inteligente para criarmos um futuro mais sustentável para todos. Acreditamos que a tecnologia tem de servir a todas as pessoas e não apenas para quem tem mais dinheiro. Por isso, aplicamos todo o nosso esforço neste tema, mas precisamos também da participação de outras entidades. Somos líderes na mobilidade elétrica e na construção de infraestruturas. Sem estas não podemos desenvolver a mobilidade elétrica, logo não podemos fazer com que futuro mais limpo se possa desenvolver. Precisamos também de parceiros para instalação de infraestruturas em estações de serviço, permitindo assim que sejam percorridas maiores distâncias. Precisamos de regulamentações que permitam que os utilizadores dos nossos veículos devolvam energia à rede. Ora, com este evento queremos fazer um debate para envolver todos os atores, que depois têm uma tarefa: trabalhar na direção de um futuro mais sustentável.

VE: As empresas que eram tradicionalmente fabricantes de automóveis, vão alargar o seu espectro de atuação?

AM: Sim o caminho será esse. A mobilidade está a mudar, bem como o consumidor. E nós, como fabricantes de automóveis, também temos de mudar o que introduzimos no mercado. Já estamos a pensar em soluções de carsharing, como também estamos a pensar em soluções que facilitem a mobilidade para que seja mais segura, com controlo mais baixo e mais confortável. Por isso, temos muitas tecnologias que já estamos a introduzir nos nossos veículos elétricos e tradicionais, tais como a condução autónoma, o propilot, e a condução com um só pedal, o e-pedal. Todos os construtores querem desenvolver estas oportunidades para responder à procura destas novas necessidades de mobilidade.

VE: Qual será o caminho trilhado pela Nissan, ter cada vez mais modelos movidos com energias alternativas aos combustíveis fósseis?

AM: No âmbito da aliança Nissan, Renault e Mitsubishi, temos um plano desenvolvimento de veículos elétricos e híbridos e de outras tecnologias. Queremos ter em poucos anos até 30% dos veículos vendidos com estas alimentações alternativas. Acreditamos que a mobilidade vai neste sentido e é uma resposta ao que observamos que está a acontecer: crescimento das cidades, mais trânsito. Temos de antecipar esta evolução para dar uma resposta concreta.

No Comments

Post A Comment