EcokartPortugal desenvolve karts elétricos | Veículos Elétricos
20075
post-template-default,single,single-post,postid-20075,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

EcokartPortugal desenvolve karts elétricos

A EcokartPortugal já desenvolveu um kart elétrico, prepara a primeira frota e tem uma campanha de crowdfunding a decorrer para construir um ecokart infantil. A plataforma, que reúne entidades e pessoas aficionadas por este desporto, quer ainda abrir um kartódromo 100% elétrico.

António Gonçalves Pereira, um dos promotores da EcokartPortugal, explica que já foram realizadas as primeiras voltas com o kart elétrico e que, neste momento, estão a trabalhar com o ISEL – Instituto Superior de Engenharia de Lisboa para desenvolverem a primeira frota 100% elétrica. A ideia é não só ter karts novos elétricos, mas acima de tudo conseguir converter os veículos que já existem para esta nova fonte de energia. «Pretendemos construir uma frota de karts elétricos e converter os karts convencionais em elétricos, porque reciclando é que teremos uma verdadeira sustentabilidade», comenta António Gonçalves Pereira.

Na fase inicial, sempre com investimento de capitais privados, foi desenvolvido um kart elétrico que já foi testado. A plataforma tem um kart de dois lugares que permite a pilotos profissionais conduzirem, levando pessoas consigo. Este kart de dois lugares já pode ser experimentado nas «ações que a plataforma organiza um pouco por todo o país. Nos centros das cidades, a convite das autarquias ou de instituições, podemos montar uma pista e proporcionar umas voltas de kart. Esta pode ser uma ação também solidária em que os fundos angariados que possam ser recolhidos revertem para uma determinada instituição», esclarece António Gonçalves Pereira.

O novo modelo de kart tem autonomia para 30 minutos e «proporciona uma maior experiência de condução». No kartódromo elétrico haverá sempre baterias a carregar para rapidamente puderem ser trocadas quando se esgota a autonomia do carro. «O carro não chega a estar parado e isto para um kartódromo faz toda a diferença».

António Gonçalves Pereira pormenoriza que no kartódromo elétrico, que ainda não tem local, mas será na área de Lisboa, os preços praticados serão os normais. O promotor desta iniciativa considera que, inicialmente, o custo do kart é maior, mas tendo em conta que a eletricidade é mais barata do que o gasóleo e a manutenção dos karts também será mais económica, «em pouco mais de um ano, o retorno será muito equivalente».

O crowdfunding surge para se conseguir apressar um pouco o processo. «Até este momento, tudo tem sido feito com o nosso esforço financeiro. Para acelerarmos um pouco este processo, temos esta campanha para conseguirmos fazer um kart infantil», elucida António Gonçalves Pereira.

Nesta campanha, a EcokartPortugal quer angariar 10 mil euros e o investimento que fizer para ajudar esta iniciativa será convertido em tempo de viagem – a conduzir ou ao lado num Ecokart twin. A campanha termina dia 15 de março.

No Comments

Post A Comment