Volvo considera “prioritário” o investimento em mobilidade elétrica | Veículos Elétricos
20440
post-template-default,single,single-post,postid-20440,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Volvo considera “prioritário” o investimento em mobilidade elétrica

A Volvo Cars considera que a mobilidade elétrica é um investimento prioritário para o grupo. O orçamento de Investigação e Desenvolvimento tem sido reforçado todos os anos, alcançando em 2016 os 92 mil milhões de euros. Aira de Mello, diretora de marketing e comunicação da Volvo Car Portugal fala ainda da nova marca Polestar e da funcionalidade de carsharing do novo modelo XC40.

 

Veículos Elétricos (VE): A partir de 2019, cada novo Volvo terá uma versão 100% elétrica e a alternativa será hibrida, acabarão os Volvo com apenas um motor de combustão. Quais os desafios que esta mudança implica quer na construção quer na comercialização e manutenção?

Aira de Mello (AM): Esse é o nosso compromisso. Fomos a primeira marca automóvel a assumi-lo em 2017, muitas se seguiram. Estamos perfeitamente conscientes do que isso envolve e estamos a preparar-nos para uma mudança de paradigma na indústria, não só em termos de modelo de negócio, mas de também de processos. O mundo está a mudar e nós com ele, conscientes da necessidade de nos adaptarmos rapidamente a novas realidades.

VE: No decorrer do Salão Automóvel de Genebra foi apresentada uma nova marca, Polestar, e o primeiro modelo deste segmento: Polestar 1. Qual a estratégia do grupo ao criar esta nova marca?

AM: A estratégia do Volvo Car Group foi criar uma nova marca de performance, elétrica e independente. A Polestar posiciona-se na vanguarda da nova era da eletrificação e energias alternativas, apresentará no mercado automóveis híbridos e elétricos, topo de gama, inovadores e capazes de oferecer serviços focados no cliente. Inaugura uma nova filosofia de produto, uma inovadora abordagem à venda e uma relação com o cliente mais de acordo com os nossos dias e os novos paradigmas, nomeadamente através do programa “Polestar Consumer Experience”, um modelo de subscrição no qual os clientes usufruem do automóvel por períodos de dois ou três anos com tudo incluído, inclusive serviços inovadores como entregas no automóvel, carsharing, entre outros.

VE: Como a descreve?

AM: A Polestar pretende ser uma marca ‘Pura, Progressiva e com Performance’.

O modelo estreado em Genebra, o Polestar 1 é um modelo GT Hybrid de alta performance, com 600cv e 1.000 Nm de binário. Este coupé percorre 150km em modo puramente elétrico (o melhor valor do mercado para este tipo de motorização). As pré-encomendas abriram dia 13 de Março. Os potenciais compradores terão de efetuar um depósito reembolsável de 2.500 euros. Além dos seis mercados inicialmente previstos: China, Estados Unidos, Suécia, Alemanha, Noruega e Holanda o Polestar 1 estará disponível em 12 mercados adicionais incluindo Suíça, Reino Unido, Bélgica, Finlândia, França, Polónia, Áustria, Espanha, Itália, Dinamarca, Croácia e Portugal, onde já temos 35 potenciais clientes interessados o que nos deixa muito felizes.

VE: Qual o orçamento que o grupo Volvo tem para investir na mobilidade elétrica?

AM: O investimento em mobilidade elétrica insere-se no orçamento de Investigação e Desenvolvimento da Volvo Cars. Este é um investimento prioritário para o grupo e tem sido reforçado ano após ano de forma a corresponder não só às elevadas expectativas dos clientes, mas também a uma nova legislação cada vez mais exigente. A despesa neste campo subiu de 86 mil milhões de euros em 2015 para 92 mil milhões de euros em 2016. Os dados relativos ao investimento no ano anterior serão divulgados em breve. Por último, de realçar a dimensão do Centro Técnico de Investigação e Desenvolvimento da Volvo, em Gotemburgo, que conta já com 6.300 colaboradores.

VE: Nesta questão da eletrificação, como será o modelo de negócio?

AM: O modelo de negócio está a ser estudado e será oportunamente anunciado.

VE: Aos veículos 100% elétricos juntam-se outros, ainda em fase de estudo, com hidrogénio. Qual a opinião do grupo Volvo sobre este meio de propulsão alternativo?

AM: A Volvo Cars, através do seu Centro de Investigação e Desenvolvimento, estuda a viabilidade de todas as energias alternativas. Neste momento entende que a mais viável é a elétrica.

VE: A Volvo já tem no mercado alguns modelos híbridos plug-in. Qual tem sido a aceitação em Portugal?

AM: A aceitação tem sido muito positiva com uma procura cada vez maior por parte dos consumidores portugueses. Da gama atual de modelos híbridos da Volvo destaque para o novo XC60 T8 Plug-in hybrid cujas vendas representam hoje em dia cerca de 50% das vendas totais deste modelo em Portugal. Além do Volvo XC60 temos ainda em comercialização o SUV familiar de sete lugares XC90, o sedan executivo S90 e a carrinha familiar V90, todos com versão hibrida T8 disponível. Em junho, lançaremos a nova carrinha Volvo V60 que contará, desde o início de comercialização, com as versões T8 e a nova versão T6, ambas hibridas plug in. Nesse momento, teremos cinco dos sete Volvo do nosso portfolio com versão hibrida disponível. Em 2019, todos os Volvo terão essa opção.

VE: Muitas fabricantes de automóveis estão a desenvolver soluções de carsharing, a Volvo já ponderou esta área de negócio?

Sim, a Volvo está atenta a este fenómeno e contribuindo para a apresentação de alternativas e soluções. Um bom exemplo é o novíssimo XC40 – carro do Ano na Europa em 2018 e que estamos a lançar neste momento –, o primeiro Volvo a disponibilizar a opção de carsharing, através da tecnologia de chave digital através do serviço Volvo On Call. Os condutores do novo XC40 poderão partilhar a chave do seu automóvel com familiares e amigos sem entregar uma chave física, uma aplicação no telemóvel bastará para que tal aconteça e o automóvel desbloqueie as portas e o motor arranque. Ficção científica há ainda poucos anos, mas realidade hoje em dia. A indústria automóvel é talvez das que mais se transforma e evolui neste início do século, é um desafio constante, mas igualmente um prazer estarmos no epicentro desta mudança, e sobretudo na Volvo, é decididamente aliciante.

No Comments

Post A Comment