Carregamentos públicos começam a ser pagos até 2019 | Veículos Elétricos
20656
post-template-default,single,single-post,postid-20656,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Carregamentos públicos começam a ser pagos até 2019

Apesar de ainda não existir uma data definida para o início do pagamento dos carregamentos públicos para veículos elétricos, o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, revelou ao Expresso que a intenção começar a cobrar-se até ao fim da atual legislatura. O responsável adiantou que a energia é oferecida como “um incentivo à utilização do carro elétrico, mas qualquer dia terá de acabar”.

Recorde-se que a partir do próximo verão, os postos de carregamento rápido que são propriedade dos operadores privados e não do Estado, vão começar a ser pagos. Segundo o Expresso, “atualmente, existem 1200 pontos de carregamento no país, distribuídos por 460 postos, dos quais 56 são de carregamento rápido (demoram entre 20 a 30 minutos a ‘abastecer’ 80% da bateria de um carro elétrico)”.

José Mendes revelou ainda ao semanário que a política de incentivos para a mobilidade elétrica é para continuar: “os incentivos existem porque os carros elétricos ainda são caros e porque, na verdade, ainda não têm escala”.

No ano passado o Estado gastou cerca de 57 milhões de euros com a mobilidade elétrica em Portugal, através de incentivos fiscais, apoio à requisição, disponibilização de veículos elétricos para a Administração Pública, serviços de ambiente das Câmaras Municipais, entre outros, revela o Expresso. Por seu turno, José Mendes anunciou que o investimento anual continuará a ficar entre 50 milhões e 100 milhões de euros, garante o secretário de Estado.

No Comments

Post A Comment