Explorador polaco realiza viagem de 16 mil quilómetros no Nissan LEAF | Veículos Elétricos
21532
post-template-default,single,single-post,postid-21532,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Explorador polaco realiza viagem de 16 mil quilómetros no Nissan LEAF

Percorrer mais de 16 mil quilómetros num veículo elétrico entre a Polónia e o Japão poderia parecer uma tarefa impossível de concretizar para céticos da mobilidade elétrica, mas o explorador polar Marek Kaminski demonstrou o contrário. O polaco partiu de Zakopane e atravessou oito países e dois continentes – Lituânia, Bielorrússia, Rússia, Mongólia, China e Coreia do Sul – e passou por uma variedade de condições de condução até chegar ao destino final em Tóquio.

Apesar de poder afirmar que foi o primeiro homem a caminhar até aos polos Norte e Sul no mesmo ano, a sua expedição num automóvel elétrico será certamente também memorável. Os desvios por trilhos de terra na Mongólia e algumas soluções de carregamento criativas na Rússia foram apenas alguns dos destaques notáveis entre as aventuras deste explorador polar polaco.

Inabalado pelos primeiros 16 mil quilómetros, Marek vai, agora, retomar o volante e completar a viagem de regresso desde Tóquio até à Polónia, no mesmo Nissan LEAF.

Marek Kaminski considera que o veículo elétrico mais vendido no mundo da Nissan é o parceiro ideal para a sua missão de desafiar os mitos em torno das viagens sustentáveis. O Nissan LEAF não produz gases de escape e providencia uma variedade de características tecnológicas que incluem os sistemas de condução semiautónoma Nissan e-Pedal e ProPILOT, para simplificar as viagens.

“Para mim, esta viagem não é só sobre chegar ao meu destino, mas também é sobre realizar uma mudança simples e genial para ser mais sustentável. Quer seja nas florestas da Rússia, em trilhos de terra na Mongólia ou nas movimentadas ruas de Tóquio, o LEAF tem sido sempre um parceiro fiável. O automóvel e as suas características como o ProPILOT foram notavelmente demonstradas em condições de condução exigentes, e mesmo em áreas remotas com poucas infraestruturas mantivemos o LEAF carregado e em movimento”, comentou Marek Kaminski.

“O LEAF deu-me a oportunidade de cumprir a minha promessa e viajar sem qualquer pegada de carbono, por isso espero que represente também um passo em frente na viagem em direção à mobilidade sustentável», concluiu o polaco.

Excluindo os três mil quilómetros percorridos no Japão, Marek Kaminski registou os seguintes dados na sua viagem de 13.000 km entre a Polónia e o Japão ao volante do novo Nissan LEAF: 53 carregamentos; 250 quilómetros de distância média percorrida e 493 km de distância mais longa efetuada por dia.

No Comments

Post A Comment