Peugeot anuncia versões híbridas plug-in no 3008 e no 508 | Veículos Elétricos
21697
post-template-default,single,single-post,postid-21697,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Peugeot anuncia versões híbridas plug-in no 3008 e no 508

A Peugeot anunciou a introdução de novas versões híbridas plug-in nos modelos 3008, 508 e 508 SW, que estarão disponíveis no último trimestre de 2019. A oferta recarregável HYBRID e HYBRID4 (quatro rodas motrizes) estará associada a uma motorização a gasolina – 1.6 PureTech – que recebeu um sistema combinado alternador/motor de arranque, bem como uma estrutura de refrigeração específica. A sua potência máxima é de 180 cv na versão HYBRID e de 200 cv na versão HYBRID4.

O motor de combustão é proposto em combinação com uma caixa automática de oito velocidades, denominada e-EAT8 (Electric Efficient Automatic Transmission – 8 speeds), que é especifica das motorizações Peugeot PLUG-IN HYBRID. O trem dianteiro alberga igualmente um motor elétrico de 110 cv/80 kW associado à caixa.

Para assegurar transições otimizadas e impercetíveis entre funcionamento elétrico e térmico, o conversor de binário das versões térmicas cede o seu lugar a uma embraiagem multidiscos em banho de óleo. Todas estas modificações possibilitam mais 60 Nm de binário nos regimes elevados, para maior reatividade.

Nas versões HYBRID4, o trem traseiro de braços múltiplos está equipado com um inversor, um motor elétrico de 110 cv/80 kW e um redutor para ativar as quatro rodas motrizes. A sua integração não teve qualquer impacto na habitabilidade.

As versões híbridas plug-in do 3008 e do 508 vêm equipadas com uma bateria de alta tensão de iões de lítio (300V), que estará localizada sob os assentos da segunda fila de bancos. A sua capacidade será de 11,8 kWh e 13,2 kWh nas variantes HYBRID e HYBRID4, respetivamente. A autonomia anunciada em modo elétrico é de 50 quilómetros em ciclo WLTP.

Para tirar o máximo partido do sistema de propulsão elétrico, o modo pré-definido será o ‘Zero Emission’, desde que o estado de carga da bateria o permita. Em modo elétrico será possível circular até uma velocidade máxima de 135 km/h, altura em que entra em funcionamento o motor de combustão.

O carregamento da bateria demora cerca de oito horas numa tomada standard (carregador de 3,3 kW, 8A), diminuindo para metade do tempo caso a opção recaia numa tomada reforçada do tipo Green’up (carregador de 3,3 kW, 14). Existe ainda a possibilidade de recuperar a capacidade da bateria em menos de duas horas em caso de utilização de uma wallbox (carregador de 6,6 kW).

Os novos híbridos plug-in da Peugeot vão incorporar uma função denominada Brake, que possibilita uma desaceleração do veículo sem recurso ao pedal do travão. Funcionando como um travão-motor, esta função permite, além disso, recarregar a bateria em situações de descida, por exemplo. No modo Drive, um simples toque para trás no comando da caixa de velocidades automática Shift and Park by wire, é suficiente para engrenar o modo Brake. Um segundo toque desativa a função.

Com o objetivo de aumentar a autonomia em modo elétrico, a travagem de alta eficácia energética i-Booster recupera instantaneamente a energia durante as travagens ou desacelerações (energia que se vê, normalmente, dissipada nas versões térmicas). O i-booster integra uma bomba elétrica em vez da bomba de vácuo das versões térmicas.

Os híbridos plug-in da Peugeot também vão dispor da função e-SAVE, que permite reservar uma autonomia elétrica (10 km, 20km ou a carga total da bateria). Esta função é de fácil acesso a partir do menu e-SAVE dedicado, no ecrã tátil. Uma vez programada, a função é apresentada no painel de instrumentos com a autonomia reservada em quilómetros. Para ativar o andamento 100% elétrico, basta selecionar o modo Zero Emission no seletor de modos de condução, em qualquer momento da condução.

No Comments

Post A Comment