Governo vai manter em 2019 incentivos à compra de veículos elétricos | Veículos Elétricos
21842
post-template-default,single,single-post,postid-21842,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Governo vai manter em 2019 incentivos à compra de veículos elétricos

O Orçamento do Estado (OE) para 2019 mantém o incentivo de 2.500 euros para compra de veículos elétricos, sejam automóveis, motociclos de duas rodas e ciclomotores elétricos, através de financiamento do Fundo Ambiental.

No próximo ano, prosseguirá também o programa de incentivo à mobilidade elétrica, “apoiando a introdução de 600 veículos elétricos exclusivamente para organismos da Administração Pública, incluindo a local”, esclarece a proposta de OE.

A rede de carregamento MOBI.E irá cobrir a totalidade do território em 2019, “prevendo-se a conclusão da segunda fase da rede piloto, com a instalação de um posto de carregamento em cada município em falta”. O documento explana ainda que “será dado, ainda, início ao pagamento da energia para a mobilidade elétrica, permitindo que a futura expansão seja feita em regime de mercado, com o respetivo investimento por parte dos operadores de pontos de carregamento”.

Atualmente, houve nos veículos automóveis 1.400 candidaturas recebidas e 83 excluídas, enquanto nos pedidos para motociclos e ciclomotores foram registadas 28 candidaturas e a exclusão de três. Nenhuma tipologia tem lista de espera. Está previso que, após a atribuição de mil incentivos numa das categorias, as candidaturas remanescentes que tenham sido submetidas nessa categoria passam a estar em lista de espera. De referir ainda que caso não tenha sido atribuído o número máximo de incentivos a uma das categorias anteriores, o valor não atribuído transitará para a outra categoria, sendo o incentivo atribuído às candidaturas elegíveis que estejam em lista de espera.

1 Comment
  • Mayur Mohanlal
    Posted at 11:30h, 17 Outubro Responder

    Há alterações em relação aos valores aceites para dedução do IVA para empresas?

Post A Comment