Mercedes-Benz inicia comercialização de híbrido plug-in diesel do Classe E em Portugal | Veículos Elétricos
22041
post-template-default,single,single-post,postid-22041,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.3,vc_responsive

Mercedes-Benz inicia comercialização de híbrido plug-in diesel do Classe E em Portugal

A Mercedes-Benz anunciou o início da comercialização da versão híbrida plug-in diesel do Classe E, já no final de 2018. O Mercedes-Benz E 300 de estará disponível nas carroçarias limousine e station-wagon, com preços a partir de 69.900 euros e 72.900 euros, respetivamente.

Os novos plug-in diesel combinam um novo motor de quatro cilindros OM 654, de 194 cv, com a mais recente geração da transmissão híbrida 9G-TRONIC de nove velocidades, e um motor elétrico de 90 kW (122 cv). A conjugação dos dois motores oferece uma potência combinada de 306 cv (225 kW) e um binário eletronicamente limitado de 700 Nm. A tração é assegurada pelas rodas traseiras. 

O Mercedes-Benz E 300 de vem equipado com uma bateria de iões de lítio com uma capacidade de 13,5 kWh, que oferece uma autonomia em modo elétrico de aproximadamente 50 quilómetros.

A marca anuncia uma velocidade máxima em modo elétrico de 130 km/h e uma aceleração dos 0 aos 100 km/h em 5,9 segundos. O consumo combinado de combustível anunciado é de 1,6 l/100 km e elétrico de 18,7 kWh/100 km. Uma vantagem dos híbridos plug-in do Classe E consiste na sua elevada capacidade de reboque de até 2.100 kg.       

Os novos híbridos plug-in de terceira geração rotulados como EQ Power combinam, pela primeira vez, um sistema híbrido plug-in e um motor diesel. O construtor argumenta que a avaliação do ciclo de vida (LCA) dos híbridos plug-in já é positiva no que diz respeito às emissões de CO2. Apesar do gasto muito maior durante a fase de produção, o híbrido plug-in pode reduzir substancialmente as emissões de CO2 ao longo de todo o seu ciclo de vida e, no melhor dos casos, responde por cerca de 45 por cento do total de emissões, o que compensa o ‘investimento’ extra de emissões de CO2 durante a produção.

Os híbridos plug-in diesel da Mercedes-Benz vêm equipados com o sistema de assistência ECO Assist, que apoia o condutor de forma abrangente, dando conselhos, por exemplo, quando for adequado desacelerar porque o veículo se aproxima do limite de velocidade. No ECO Assist, dados de navegação, reconhecimento de sinais de trânsito e informações de radares e câmaras são vinculados e processados. Pela primeira vez, isto envolve o equilíbrio térmico do motor de combustão e as funções de pós-tratamento dos gases de escape, como a regeneração do filtro de partículas diesel, que também é controlado de forma a minimizar o consumo e as emissões com base na distância percorrida.

No Comments

Post A Comment