2018 foi “um ano excelente” para a mobilidade elétrica em Portugal | Veículos Elétricos
22328
post-template-default,single,single-post,postid-22328,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

2018 foi “um ano excelente” para a mobilidade elétrica em Portugal

A Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos – UVE fez um balanço positivo sobre a mobilidade elétrica em Portugal. “A mobilidade elétrica em Portugal teve um ano excecional tendo batido sucessivos recordes”, lê-se em nota publicada no site da associação.

A UVE descreve os pontos positivos de 2018 e alerta para a necessidade de melhorar outros tópicos da mobilidade elétrica. A UVE destaca a inauguração dos primeiros supercarregadores da Tesla, o lançamento de incentivo para aquisição de um motociclo ou ciclomotor 100% elétrico no valor de 400 euros (que se junta ao incentivo já existente para compra de veículos ligeiros 100% elétricos no valor de 2.250 euros) e a instalação de Postos de Carregamento Rápido (PCR) nas autoestradas, nas principais cidades e em diversos locais de acesso reservado para abastecimento de frotas de funcionários ou de alunos, num total de mais de 70 PCR em funcionamento. Entre os aspetos positivos, há a salientar ainda a generalização da correta sinalização dos Postos de Carregamento, quer rápidos, quer normais, permitindo a intervenção das autoridades de fiscalização, o início da substituição dos Posto de Carregamento Normal (PCN) de 3,7 kW das cidades por PCN mais modernos e de maior potência, com 7,4 kW, 11 kW e 22 kW e ainda o aumento exponencial das vendas de veículos elétricos, tendo a quota de mercado dos veículos elétricos em Portugal atingido os 5.4% em setembro e os 3% no acumulado do ano, conseguindo Portugal estar no 5.º lugar, a nível mundial, logo a seguir à Noruega, Suécia, Holanda e China.

Quanto aos aspetos menos positivos, a UVE refere a existência de PCR instalados em algumas autoestradas que continuam desligados e o mesmo é válido para alguns PCN, instalados em cidades, que continuam desligados.

A associação faz ainda perspetivas para 2019, acreditando que haverá um “aumento significativo” da Rede Pública de Carregamento e “assistiremos à chegada de novos modelos de veículos elétricos com mais autonomia e maior diversidade de preços”.

No Comments

Post A Comment