Hyundai reafirma aposta no hidrogénio com plano FCEV Vision 2030 | Veículos Elétricos
22532
post-template-default,single,single-post,postid-22532,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

Hyundai reafirma aposta no hidrogénio com plano FCEV Vision 2030

O Hyundai Motor Group anunciou o seu plano FCEV Vision 2030 a longo prazo, um reafirmar do seu empenho em acelerar o desenvolvimento de uma sociedade de hidrogénio, aproveitando o conhecimento da tecnologia fuel cell. O grupo tem como objetivo aumentar a capacidade de produção de sistemas fuel cell para as  700 mil unidades até 2030 e ainda fornecer os seus sistemas fuel cell a outros fabricantes de automóveis, de drones. de embarcações, de material circulante e de empilhadores. A Hyundai tem também a expetativa de que a tecnologia possa ainda ser procurada por outras áreas de negócio como a produção de energia e os sistemas de armazenamento.

Euisun Chung, vice-presidente Executivo do Hyundai Motor Group, afirmou: “o Hyundai Motor Group, pioneiro global da produção comercial de FCEV, está a dar um grande passo no sentido de agilizar a construção de uma sociedade de hidrogénio. Vamos expandir a nossa posição além do setor automóvel e desempenhar um papel central na transição global para uma energia limpa, tornando o hidrogénio uma fonte de energia economicamente viável. Estamos confiantes de que a energia do hidrogénio irá transcender o setor dos transportes e que se irá tornar um sucesso económico líder a nível global“.

Com o plano FCEV Vision 2030, o Hyundai Motor Group e os seus fornecedores vão a investir aproximadamente 7,6 biliões de KRW (mais de nove mil milhões de euros) em investigação e desenvolvimento e expansão de instalações, o que irá criar cerca de 51 mil postos de trabalho até 2030. O Grupo planeia assegurar uma capacidade de produção de 500 mil unidades FCEV por ano até 2030, incluindo veículos comerciais e de passageiros. Desta forma, antecipa a elevada procura de FCEV a nível global que se vai expandir até cerca de dois milhões de unidades por ano durante esse período.

Como primeiro passo para cumprir a FCEV Vision 2030, a Hyundai Mobis Co., filial de produção de sistemas fuel cell do HMG, inaugurou a sua segunda fábrica de sistemas fuel cell em Chungju, na Coreia do Sul. A fábrica ajudará a Mobis a aumentar a produção anual de sistemas fuel cell das atuais três mil unidades para 40 mil unidades até 2022.

A Hyundai lançou no início deste ano o Novo NEXO, a segunda geração de FCEV da marca, depois do ix35. O Grupo planeia continuar a desenvolver o sistema fuel cell utilizado nos modelos NEXO, de forma a modernizar e diversificar a sua gama, para que possa responder às exigências dos vários setores industriais. Em dezembro passado, o Hyundai Motor Group criou uma divisão dedicada a desenvolver e apoiar os negócios relacionados com o sistema fuel cell.

O sistema fuel cell, patenteado pelo Grupo, combina combustível de hidrogénio com oxigénio retirado do ar para produzir eletricidade. Sem combustão, o sistema emite apenas água, purificando simultaneamente o ar poluído, tornando-o em energia limpa.

De acordo com um estudo da McKinsey & Company, através da elevada densidade energética e facilidade de reabastecimento, o hidrogénio poderá ajudar a reduzir os custos gerais de propriedade em cerca de 10% para todos os meios de transporte possíveis, incluindo material circulante, embarcações e empilhadores. O estudo estima ainda que, até 2030, serão necessários entre de 5,5 e 6,5 milhões de unidades do sistema fuel cell a nível global.

O HMG é a única empresa com uma fábrica dedicada à produção comercial de sistemas fuel cell. Com a construção da segunda instalação, a Hyundai pode rapidamente ter sucesso no mercado à escala global.
O Hydrogen Council, uma iniciativa global de empresas líderes nos ramos da energia, transportes e indústria, da qual a Hyundai faz parte, prevê que a procura anual de hidrogénio irá aumentar dez vezes mais até 2050, criando assim diversas oportunidades para um crescimento económico sustentável.

No Comments

Post A Comment