Carros eléctricos vão emitir ruído | Veículos Elétricos
23284
post-template-default,single,single-post,postid-23284,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

Carros eléctricos vão emitir ruído

Os veículos elétricos vão ter de emitir um sistema sonoro AVAS (Audible Vehicle Alert System). Os carros que não tenham este alerta têm de o incorporar até 2021 e os que já possuam, o mesmo tem de estar ativo. A medida entra em vigor este mês e resulta de uma alteração ao regulamento da União Europeia 540/2014, que propõe a emissão de um ruído quando se faz marcha atrás e quando se conduz a menos de 20 quilómetros horas. Os carros que já estão equipados com sinalização sonora para marcha atrás, não é necessitam de ativar outro sistema em simultâneo.

O regulamento define que o nível sonoro produzido pelo AVAS não deve ultrapassar o valor aproximado de um veículo concebido para o transporte de passageiros com oito lugares sentados, no máximo, equipado com motor de combustão interna que esteja a funcionar nas mesmas condições. O aviso não terá opção para desactivar.

Uma das mais-valias dos veículos elétricos é reduzir a poluição sonora, no entanto esse silêncio pode causar problemas  aos peões, sobretudo invisuais e pessoas com mobilidade reduzida.

A medida tomada pela União Europeia foi baseada em alguns estudo. A Associação britânica Guide Dogs, por exemplo, concluiu que os peões têm 40% mais de probabilidade de serem atropelados por um veículo híbrido ou elétrico do que por um carro de combustão interna. Um outro trabalho da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos da América, indica que alguns veículos elétricos não se conseguem ouvir até um segundo antes do impacto com o peão.

1 Comment
  • Paulo
    Posted at 17:52h, 04 Julho Responder

    A ser verdade, os surdos já teriam morrido todos atropelados e nunca teria existido um atropelamento de um invisual.
    Também não se percebe de que modo a mobilidade reduzida pode ser afetada positiva ou negativamente pelo ruído dos veículos.
    Gostava também de saber o que vão fazer a todos os veículos (electricos e de combustão) que não são escutados por todas as pessoas que andam na rua com earphones ou headphones. Será que também só são atropelados por veículos electricos?
    Então e os híbridos a circular em modo electrico? E os Rolls Royce que são tão silenciosos como um relógio suíço?
    E a 25 Km/Hora já está tudo bem? E a 50? 80? 35?
    A solução passa, isso sim, pela atenção que peões e condutores devem ter quando circulam nas ruas.
    Desde sempre existiu um dispositivo fantástico em todos os veículos automóveis a circular: chama-se buzina.

Post A Comment