BYD quer conquistar a Europa com autocarros elétricos | Veículos Elétricos
23835
post-template-default,single,single-post,postid-23835,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

BYD quer conquistar a Europa com autocarros elétricos

A BYD quer conquistar o mercado europeu sobretudo através dos autocarros elétricos. Em entrevista, o diretor-geral da BYD Europa, Isbrand Ho, falou da capacidade de fabricar todos os componentes e da importância de estabelecer parcerias locais para tornar os autocarros mais personalizados.

Veículos Elétricos (VE) – A BYD é uma empresa voltada ao futuro, fabricante de veículos elétricos. Como vê o futuro da mobilidade?

Isbrand Ho (IH) – A BYD acredita que o futuro da indústria automóvel está no desenvolvimento de veículos movidos com novas energias, enquanto as perspetivas para os veículos movidos com combustíveis fósseis são, a longo prazo, insustentáveis e prejudiciais ao meio ambiente. No futuro, a competição será feroz, mas justa. Nessa competição, a BYD, está comprometida em desenvolver inovações tecnológicas para uma vida melhor.

VE – Qual a estratégia da BYD para a Europa? E, em particular, para Portugal?

IH – Na Europa, o principal foco da BYD são os autocarros 100% elétricos, empilhadores e transporte ferroviário. E, em breve, os camiões 100% elétricos vão juntar-se à frota já disponível na Europa. A BYD desenvolve o conceito “Priorizar a tecnologia, iniciar a inovação”. Até ao momento, a BYD submeteu pedidos para mais de 26 mil patentes e já possui 17 mil patentes. BYD é a única empresa no mundo que pode produzir as baterias dos seus veículos. Estamos, por isso, totalmente integrados, ou seja, temos design, desenvolvimento e produção dos nossos próprios componentes. Adicionalmente, para ganhar mercado através da qualidade, a empresa construiu fábricas além-fronteiras para concretizar a sua estratégia de desenvolvimento global, a longo prazo, de ter produções a nível local. Na Europa, a BYD está a esforçar-se para construir uma imagem internacional ao invés de ser conhecida apenas como uma marca chinesa. Estamos a tentar converter o “made in China” para “criado na China” e “made in Europe for Europe”.  A BYD está também a estabelecer parcerias com empresas locais para construir produtos mais personalizados nos mercados locais. Por exemplo, no Reino Unido, a BYD estabeleceu uma parceria com um dos maiores fabricantes de autocarros, a Alexander Dennis Ltd (ADL). A BYD fornece o chassis do autocarro, as baterias e a tecnologia do motor e a ADL fará a carroçaria dos autocarros com o design desejado.  A relação win-win entre a BYD e a ADL já está a ter sucesso no mercado do Reino Unido. Além disso, a BYD fornece soluções de eletrificação de autocarros em vez de apenas produzir produtos e tem um papel ativo no desenvolvimento de veículos com energias alternativas aos combustíveis fósseis em vários países.

No que respeita à estratégia da BYD em Portugal, no sentido de participar em futuros concursos públicos para veículos elétricos, tentamos sempre partilhar com os potenciais clientes como está a decorrer a mobilidade elétrica noutros países onde a BYD já está presente. Partilhar a nossa experiência vai alargar a possibilidade de desenvolver o nosso negócio em Portugal.

VE – A BYD tem algum parceiro em Portugal?

IH – Temos um parceiro em Cernache de Bonjardim, que está responsável por prestar apoio aos autocarros que comercializámos para Coimbra.

VE – Considera que Portugal está preparado para a mobilidade elétrica?

IS – Portugal está disposto a mudar e isso revela-se pelos investimentos que têm sido feitos em autocarros elétricos. Muito do investimento vem de empresas públicas e isso é mesmo revelador da vontade de melhorar e evoluir. No que respeita ao mercado de autocarros elétricos em Portugal, ficamos muito satisfeitos por ver que o Governo apoia cada vez mais a conversão. Já há alguns apoios da União Europeia para esta reconversão e esperamos que possa haver mais financiamento e políticas das autoridades centrais para alcançar a eletrificação do transporte público e avançar em direção à sustentabilidade do transporte público.

VE – A BYD tem também uma fábrica de baterias. Quais as características desta fábrica?

IH – A produção de baterias é um negócio dentro da BYD totalmente independente. Com mais de 20 anos de evolução permanente, a BYD tem as matérias-primas, o design, faz investigação, produção e reciclagem de baterias. A fábrica de baterias da BYD é a unidade com maior capacidade no mundo de produzir baterias de fosfato de ferro e lítio. Espera-se que a capacidade total de produção de baterias BYD atinja 65GWh até 2020. As baterias da BYD são também utilizadas em centrais de energia solar e centrais de armazenamento de energia, bem como noutras soluções de energia renovável. De referir, que em julho de 2019, a BYD e a Toyota assinaram um acordo para o desenvolvimento de veículos elétricos, bem como as baterias desses mesmos veículos e de outros com o objetivo de os lançar no mercado chinês sob a marca Toyota.

VE – A BYD faz reciclagem de baterias. Qual o trabalho que tem sido feito?

IH – As baterias em fim de vida útil podem ser utilizadas para armazenamento de energia, por exemplo. Também podem ser desmontadas e conseguimos recuperar ânodos, materiais catódicos e peças estruturais. A BYD desenvolveu uma unidade de desmontagem de baterias seladas, de alta eficiência e totalmente automatizada. Ao focar na recuperação das nossas próprias baterias, somos capazes de alavancar a nossa experiência nas propriedades e componentes químicos das baterias. Comparado com outros fabricantes de veículos elétricos, que não fabricam baterias para seus próprios veículos, a BYD tem uma vantagem técnica nessa área.

VE – Considera que os autocarros elétricos serão o futuro da mobilidade nas cidades?

IH – Definitivamente, os autocarros elétricos serão o futuro e é a tendência de compra das empresas de transporte público, sobretudo quando falamos dos desafios da qualidade do ar que hoje enfrentamos.

No setor dos transportes públicos, a BYD já vendeu os seus produtos em mais de 300 cidades em 50 países e seis continentes. São mais de 50 mil autocarros 100% elétricos em operação.

No Comments

Post A Comment