Hyundai Nexo passa teste de segurança nos EUA | Veículos Elétricos
23884
post-template-default,single,single-post,postid-23884,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

Hyundai Nexo passa teste de segurança nos EUA

O Hyundai Nexo passou com sucesso o teste de segurança Top Safety Prick+ do Instituto de Segurança Rodoviária dos Estados Unidos (IIHS – Insurance Institute for Highway Safety) para veículos produzidos depois de junho de 2019. Será de referir que o Nexo foi o primeiro automóvel fuel-cell a ser testado por aquele organismo norte-americano. Em condições normais, não seria incluído no programa de testes do IIHS, mas a Hyundai considerou que este modelo estava preparado para cumprir estes testes. A avaliação do Nexo também foi vantajosa para o IIHS, já que teve a oportunidade de testar pela primeira vez um automóvel movido a hidrogénio.

Para ser admitido ao prémio Top Safety Pick+, o Nexo teve de obter boas classificações nos vários ensaios que simulam as condições de acidentes rodoviários com maiores taxas de mortalidade, designadamente colisões frontais descentradas, colisões laterais, resistência do tejadilho e dos apoios de cabeça. O veículo também deve alcançar pontuações muito elevadas na prevenção de colisão frontal e iluminação. O Hyundai Nexo registou boas classificações em todos os seis testes de resistência ao impacto.

O Nexo é o veículo elétrico fuel-cell de segunda geração da Hyundai e uma aposta da marca sul-coreana na sua estratégia para a mobilidade do futuro. Com uma carroçaria do tipo SUV combina uma tecnologia elétrica avançada, funções de assistência à condução e um design convincente. Os seus três depósitos de hidrogénio pressurizado possuem uma capacidade de 156,6 litros, o que equivale a pouco mais de seis quilos. Segundo a Hyundai, o sistema de célula de combustível do Nexo tem uma eficiência de 60 por cento, o que se traduz num consumo anunciado de 0,95 kg de hidrogénio por cada cem quilómetros. A autonomia total é de 666 quilómetros, segundo o ciclo de testes WLTP. 

No Comments

Post A Comment