Siemens Portugal entregou carregador elétrico na Alemanha | Veículos Elétricos
24242
post-template-default,single,single-post,postid-24242,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-16.3,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

Siemens Portugal entregou carregador elétrico na Alemanha

O primeiro carregador elétrico produzido na fábrica da Siemens, em Correios, foi entregue em Baden-Baden, na Alemanha. O carregador vai servir para carregar os primeiros autocarros elétricos municipais daquela cidade. Atualmente, a fábrica de Corroios está a produzir carregadores para projetos em Portugal, Itália, Roménia e Alemanha. Estima-se que 90% dos carregadores produzidos na fábrica da Siemens em Corroios serão para exportação.

Recorde-se que os carregadores de nova geração produzidos em Portugal destinam-se a veículos comerciais e utilitários, como autocarros, camiões e veículos de recolha de lixo e lavagem de estradas, entre outros.

Este modelo permite carregamentos de 30 minutos até duas horas, consoante as diferentes classes de potência e necessidades de autonomia. O equipamento completo, com armário em aço galvanizado, tem cerca de 1,5 toneladas, sendo que apenas o transformador pesa cerca de 800 quilogramas.

“Ao passar a produzir carregadores, a par dos quadros elétricos de baixa e média tensão que já produzia, esta fábrica está cada vez melhor preparada para responder aos grandes desafios que são hoje colocados às cidades e para ter um papel relevante nas áreas onde é expectável que haja um maior dinamismo, como as redes e os edifícios inteligentes, e a mobilidade elétrica” disse Fernando Silva, responsável pela Smart Infrastructure da Siemens Portugal.

No final do ano passado, com a criação de uma linha de produção dedicada para estes carregadores, a fábrica passou a ter capacidade para produzir mais de 300 unidades por ano. Se o mercado evoluir favoravelmente, a empresa prevê vir a produzir, nesta unidade, 1400 carregadores por ano até 2025.

No Comments

Post A Comment